Diga NÃO! Sem raiva, com total amor!

  • Hellen Dalla
  • 31/03/2019

Sim, é possível!

Fazer o que não quer para agradar as pessoas, fingir ser ou gostar do que os outros gostam para ver as pessoas sorrindo, sentir-se aceito ou amado só vai machucá-lo e trazer-lhe ainda mais prejuízos em muitos níveis.

Desapegue da criança interior que se sentiu abandonada. O medo de ser rejeitado e excluído fez com que você entrasse no papel do “bonzinho” que sempre está bem.


Ao agradar os outros se colocando em segundo plano, você se tornou útil e percebeu que esta era uma estratégia boa para a sua sobrevivência social.

A questão é que sobreviver é muito diferente de viver uma vida plena de realizações. Assumir a própria vida também significa acolher a sua criança interior que está ferida e dar a ela liberdade para se expressar com verdade. 


Manifeste a sua essência para que a sua vida flua e você se conecte com o seu verdadeiro propósito independente do que esperam de você.

Ser íntegro consigo mesmo significa dizer o que pensa com respeito, posicionar-se e nunca aceitar menos do que o que é justo.


Você merece escolher o melhor para si, isto está relacionado com amor-próprio. Qual a dificuldade nisso? Pensar somente em si é egoísmo, colocar-se em primeiro lugar é amor-próprio. Isso é sabedoria!


Para todas as pessoas que sofrem de intensidade…

Quanto mais você de deforma para agradar e entrar em outros padrões mais você assume uma postura de dor e sofrimento. Você não é vítima! 


Entenda que a sua atitude de “coitado” emana uma informação que acaba atraindo as pessoas certas que vão confirmar aquilo que você mesmo está determinando.

Mergulhe dentro de si mesmo. Investigue os motivos pelos quais você faz o que faz. Libere-se da culpa e libere os outros da responsabilidade de serem os vilões. Você é 100% responsável pela sua felicidade. Assuma a sua vida e escreva uma história de superação e sucesso.

Sim e não estão diante de você, basta que você escolha aquilo que é congruente com a sua essência.


É possível dizer NÃO! Sem raiva, com total amor! Acolha a sua criança interna e dê a ela tudo que ela necessita, ela só precisa ser vista e amada. Ame-se, perdoe-se e permita-se crescer. Este processo dói, demanda muito trabalho, autoconhecimento, dedicação e coragem. Este é o preço da liberdade!